demonstramos antes o modo extremamente negativo que boa parte dos cientistas sociais costuma lidar com a pesquisa sobre a influência da biologia no comportamento. Mas, como se a evidência da literatura científica não fosse suficiente, também existem documentários que tratam do assunto, e um exemplo é Hjernevask (Lavagem Cerebral), exibido na Noruega no ano de 2010.

Com 7 episódios, o documentário é apresentado por Harald Eia, um sociólogo e comediante. Eia ilustra o que ficou conhecido como debate natureza ou criação, e coloca de encontro as opiniões que cientistas naturais e cientistas sociais têm sobre temas que envolvem violência, sexualidade, criação dos filhos, habilidades inatas e uma gama de outros tópicos. Dada a grande e positiva recepção do público e sob a justificativa de “ter antecipado um dos debates mais acalorados dos últimos tempos”, Eia recebeu o prêmio Firtt Ord Award.

O 1º episódio trata das preferências ocupacionais de homens e mulheres, o 2º investiga a influência dos pais na criação dos filhos, o 3º reflete sobre as origens da sexualidade, o 4º foca-se na interação entre violência e cultura, o 5º analisa as possíveis preferências biológicas que homens e mulheres apresentam em relação ao sexo, o 6º busca esclarecer se existem diferenças raciais entre as pessoas, e o 7º e último é um apanhado dos anteriores, mas com um enfoque maior na personalidade individual.

Há quem conteste a proposta do documentário e diga que tal debate já está solucionado, mencionando que “é um pouco dos dois” enquanto se refere à influência conjunta da genética e da cultura no crescimento do indivíduo. Já demonstramos que essa alegação é falsa, e os próprios cientistas sociais entrevistados por Eia dizem, em claro e bom tom, que não admitem que as ciências biológicas tenham qualquer coisa a contribuir com os assuntos humanos. A seguir, todos os episódios de Hjernevask, o documentário que expôs a ideologia negacionista dos cientistas sociais:

Matheus Coelho
Matheus Coelho

Idealizador da E&S, é graduando em Ciências Biológicas (IB-UFRJ) e apaixonado pela relação entre comportamento e evolução.